quarta-feira, 15 de março de 2017

"Querido Diário" #8- RTP3 e RTP Memória: Análise do percurso pela TDT


Estreada a 21 de dezembro de 2016, esta rubrica é um espaço singular, onde são abordados diversos temas como se se estivesse a escrever num diário intimo.

Querido Diário,

Esta semana volto ao tema da TDT, desta vez focando mais nos dois canais que dia 1 de dezembro passaram a fazer parte da plataforma. [Se não leu o "Querido Diário" #1 faça-o agora]

Depois de muito tempo há espera de um alargamento, finalmente os espectadores iriam ter a oportunidade de ter mais dois canais. Nesta primeira fase, foram os canais públicos RTP3 e RTP Memória a integrar a TDT. Contudo, temos já outro alargamento prometido, desta feita com dois canais privados.

Como já foi referido, a passagem a sinal aberto destes dois canais foi mais que justa, por duas simples razões: a primeira é que a TDT portuguesa estava muito pobre apenas com a RTP1, RTP2, SIC, TVI e AR TV. Era necessário o lançamento de mais canais; a segunda é pelo facto de serem canais públicos, pagos por todos e que apenas na Cabo não estavam à disposição de toda a população.

Ambos são sem dúvida indispensáveis na TDT pois complementam o serviço que a RTP oferece atualmente. Se tínhamos um canal mais atual e moderno (RTP1) e um de cultura (RTP2), agora contamos com informação 24 horas na RTP3 e temos à nossa disposição um arquivo de 60 anos, com a RTP Memória.

Estes canais estão a ganhar o seu espaço na TDT, apesar de ainda haver alguns ajustes a fazer a nível de programação. A RTP3 apresenta ainda uma grelha muito similar entre sí. Falta mais espaço para a cultura e mais dinâmica nos seus jornais, que por vezes são repetitivos. Na RTP Memória temos uma grelha mais justa e diversificada, onde vemos programas de várias alturas da estação e que tem conquistado a faixa etária mais jovem.

Os novos membros da Televisão Digital Terrestre tem conseguido boas audiências. Na TDT, já os vimos chegar a 1% de share médio, o que é ótimo se compararmos estes números aos que marcavam apenas na Cabo ou se olharmos para o panorama da TDT, que tem perdido audiências. É um começo e nestes três meses de emissões podemos considerar o balanço positivo.

Contudo, e como também já foi referido na primeira edição deste "Querido Diário", os media tem deixado de lado estes novos canais e nem temos acesso às suas audiências mais detalhadas. É extremamente necessário corrigir este problema, pois um dos critérios da imparcialidade é dar a mesma relevância a todos os canais.

Assim seguem os novos "filhos da TDT", que aos poucos prometem aumentar as suas audiências e chegar a novas faixas. A RTP3 e a RTP Memória aproximam-se da sua "prima" RTP2, que continua a perder audiências, mas esse será assunto para outra edição.

Despeço-me assim "Querido Diário". Boa semana a todos!

Por: Filipe Vilhena

Partilhe esta notícia

0 comentários: